Notícia

Certificação

segunda, 11 de março de 2019
Goiaba produzida no Paraná conquista certificação internacional para exportação

Produtores de goiaba de Carlópolis, no norte pioneiro do Paraná, abriram as portas do mercado europeu para a fruta que é um dos produtos paranaenses que possuem o registro de Indicação Geográfica (IG). A partir deste mês de março, a goiaba passa a carregar o selo Global G.A.P, uma certificação internacional que reconhece e atesta a segurança alimentar e sustentabilidade em produtos de origem agrícola.
 
O consultor do Sebrae/PR, Odemir Capello, conta que há pelo menos três anos a entidade atende e capacita os produtores com foco na comercialização da fruta para o mercado nacional e internacional. Enquanto o registro da IG foi conquistado pela Associação dos Olericultores e Fruticultores de Carlópolis (APC), o processo de certificação internacional passou pela criação de uma cooperativa e contou com o apoio da Prefeitura de Carlópolis e da Emater. O produto possui o registro IG, concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), desde 2016.
 
“Tentamos, inicialmente, fazer o processo via APC, mas não foi possível porque não é permitido a associações fazer a comercialização”, explica. Assim, foi necessário formalizar uma cooperativa de pequenos produtores, a Cooperativa Agroindustrial de Carlópolis (COAC). O trabalho começou no final de 2017 e, durante o ano passado, o grupo promoveu adequações nas propriedades e no chamado packing house, o barracão utilizado para a segregação, higienização e armazenamento das frutas.

Além de ser uma ferramenta para a abertura de novos mercados, a certificação aumenta a confiança do consumidor na inocuidade dos alimentos, demonstrando o compromisso do produtor com a segurança e sustentabilidade alimentar. A norma aborda, principalmente, pontos de rastreabilidade, técnicas de produção (uso controlado de defensivos químicos), preservação do meio ambiente e recursos naturais, aspectos higiênicos (não-contaminação química, física e biológica) e sociais (ambiente de trabalho adequado).
 
A certificação foi concedida para a COAC e nove propriedades. O produtor certificado e presidente da cooperativa, Noriak Akanatsu, diz que a rastreabilidade oferecida pelo selo internacional contribui para agregar mais valor ao produto. “A exportação é uma maneira de a gente se manter na atividade”, afirma. Hoje, a cooperativa é formada por 23 produtores e a goiaba de Carlópolis chega a pelo menos 12 estados brasileiros. Por enquanto, nove poderão exportar a fruta. E a meta para 2019 é aumentar esse número para pelo menos 15.
 
O produtor certificado e presidente da APC, Rodrigo da Silva Viana, explica que o selo é coletivo. A auditoria, por amostragem, foi realizada em três propriedades, além do packing house. Viana adianta que o grupo já planeja a primeira exportação. “Estamos definindo a empresa que fará a distribuição do nosso produto na Europa”, afirma. O caminho livre para levar a goiaba de Carlópolis ao exterior deve abrir mais espaço, inclusive, no mercado nacional. “Queremos usar a certificação no mercado interno para nos destacarmos como produtores de uma fruta diferenciada”, pontua.
 
Viana, que participou de duas missões técnicas para feiras internacionais, uma para a Espanha e outra para a Alemanha, organizadas pelo Sebrae/PR, conta que a goiaba é considerada uma fruta exótica lá fora. “Voltei das feiras entusiasmado para exportar. Fiquei impressionado com o interesse dos compradores no exterior”, relembra. As visitas foram importantes, segundo ele, para apresentar a goiaba de Carlópolis e prospectar contatos. E a expectativa com o selo internacional é expandir a lista de clientes. “A IG já abriu muitos mercados pra gente, praticamente triplicamos nossa lista de compradores”, cita.
 
O especialista em comércio exterior, Paulo Ricardo Teixeira Peres, diz que a certificação internacional ratifica o trabalho diferenciado feito pelos produtores de Carlópolis. Segundo ele, não existe impedimento para a comercialização sem o selo, porém, o grupo teve o cuidado de obter a qualificação e certificação apropriadas para a goiaba entrar no mercado internacional com preços referenciados pelo mercado. “Já fizemos vários contatos, desde redes de supermercados internacionais, até compradores de pequeno e médio portes”, informa. A próxima etapa, agora, segundo Peres, é adequar a logística operacional. O momento é de transição para a efetivação dos primeiros negócios.

Carlópolis produz goiaba o ano todo graças ao sistema de poda total. O município é o maior produtor da fruta no Paraná e um dos maiores do Brasil. Segundo a Emater, cerca de 390 hectares são usados para o cultivo na área limitada pela indicação de procedência e o potencial de produção é de 23 mil toneladas por ano, em condições de clima normais.
 
Global G.A.P
 
O Global G.A.P - Good Agricultural Practices – é um manual de Boas Práticas Agrícolas, que estabelece um conjunto de normas técnicas para diferenciar os produtos e beneficiar produtores e organizações preocupados com o impacto ambiental das atividades. Os princípios da certificação baseiam-se nos conceitos de segurança alimentar; proteção do meio ambiente; condições de saúde, higiene e segurança dos trabalhadores; e bem-estar animal, quando aplicável. O referencial está disponível para três âmbitos de produção: culturas, produção animal e aquacultura. Mais informações podem ser consultadas no site https://www.globalgap.org/.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sebrae